EDITORIAL: V!$H Midia contra o ódio e a censura

by - 27 outubro

Foto por Teodora Velloso

É sempre esperado que a cultura Hip-Hop - ou pelo menos, algum dia já foi - se posicione sobre as relações de poder da nossa sociedade. A força do normativo, seja ela física ou psicológica, foi o maior carrasco dos personagens narrados pelos artistas pioneiros do rap no país. Personagens que, independentemente do caráter ficcional ou testemunhal, representam a parcela invisibilizada de pessoas que buscamos defender e que compõe a nossa equipe: a comunidade preta, feminista, LGBTQ+, entre outros segregados, cheios de voz mas confrontados pelo silêncio daqueles que escolhem não ouvir. 

Devido à expansão do alcance destas vozes nos últimos anos, graças à internet e trabalho de militância, aliado ao esforço das mídias subversivas como a nossa, foram desmascaradas inúmeras manifestações de violência no cenário brasileiro. Muitas dessas ações, infelizmente, cometidas por artistas e influenciadores que anteriormente foram apoiados e divulgados por seu trabalho em nossa página. Essa ebulição da discussão sobre separação de arte e artista permeou a internet por bastante tempo, incluindo nas reuniões de pauta da equipe da V!$H. 

Sabemos da necessidade de que nós, como jornalistas e produtores midiáticos, explicitemos o nosso posicionamento em repúdio ao ódio. E, além disso, decorrente da situação eleitoral brasileira, a urgência de fazê-lo. Subversivos são aqueles que se revoltam. O discurso agressor aos direitos humanos de Jair Bolsonaro e a violência gerada por ele é absolutamente contrária aos valores do nosso trabalho. 

Embora a redação não entre em acordo em diversos assuntos, - até por se prezar a pluralidade como pilar da nossa atuação - a ameaça direta do discurso do candidato à democracia não permeia o campo da dúvida e da opinião. Os ataques direcionados à liberdade de imprensa e às causas socioculturais que defendemos são preocupantes e demandam a participação ativa dos portais independentes de mídia como nunca antes. A mídia é feita por pessoas, e elas resistem.

Nas circunstâncias de violência histórico culturais enraizadas, como o racismo, misoginia, feminicídio, machismo, LGBTfobia e tantas outras demonstrações de ódio; e nesta circunstância política, que é a catalisação e naturalização desses absurdos; a V!$H Midia declara apoio ao candidato do PT, Fernando Haddad, como asseguração da democracia e manutenção do nosso projeto editorial, que visa apoiar e abrir espaço cultural para artistas independentes. #EleNão

Considerando o papel do portal como mídia de conteúdo subversivo, fica explícito na linha editorial os seguintes termos:

- Não serão divulgados e apoiados os trabalhos de artistas disseminadores de ódio;
- Não serão divulgados e apoiados os trabalhos de artistas cometedores de violências físicas individuais na vida pessoal, até o esclarecimento e procedimento legal das acusações;
 - Questões duvidosas ou mal noticiadas serão revisadas com a ajuda da opinião popular, sempre determinante para as incertezas das apurações e melhoria da comunidade, principalmente em tempos de fake news - levando em consideração o público diversificado e presente em seu lugar de fala que nos acompanha;
- Não separaremos arte de artista - caso a redação considere importante publicar algo de um artista nessa condição, será para explicitar e denunciar também suas polêmicas e acusações;
- A V!$H Midia é diversa em suas raízes, em sua equipe e em seus posicionamentos - e por isso mesmo luta pela democracia.

Deixaremos anexo aqui, links que somam à nossa luta contra o racismomachismo/feminicídioLGBTfobiacensura, descaso com o meio ambiente e tantos outros atos transgressores dos direitos das minorias do país.

A V!$H Midia agradece a todos os artistas e influenciadores que se pronunciaram em favor da democracia, e encoraja os que ainda não o fizeram. #EleNão

Editorial do time V!$H Midia, 27/10/2018.
















Você Pode gostar de Flagrar também:

0 comentários